Florestinha do Vale Verde Agrofloresta SAF Módulo 7

Tipos de manejo que praticamos aqui na Florestinha

Estamos praticando o manejo agroflorestal com duas variações principais. Em ambas usamos a mesma quantidade de calcário dolomítico (250g/m2) e pó de rocha (250g/m2). Esta não é a única nem a melhor forma de praticar o manejo agroflorestal. É apenas a forma que estamos praticando aqui na Florestinha com base na experiência que viemos desenvolvendo. Manejo agroflorestal intensivo de horta Este é um manejo com adubação mais intensiva em função do tipo de culturas. As hortaliças são plantas originárias de regiões com solo mais fértil que o nosso e demandam mais insumo, além de irrigação, para se desenvolverem. Nestas áreas adubamos o solo com mais: 15kg de Yoorin Master por canteiro de 25m x 80cm; e 300 litros de esterco de frango (6 carrinhos de mão) por canteiro. Veja o nosso plano de projeto de manejo para ter uma visão geral do trabalho! Para entender como é que plantamos...

Continue reading
Florestinha do Vale Verde Agrofloresta SAF Módulo 4

Plantio do módulo 25 iniciado!

Realizamos o plantio da linha de árvore do módulo 25 no dia 21 de novembro de 2018 semeando a primeira (e única?) figueira da nossa agrofloresta! Isto em si já é um experimento: manejar uma Figueira semeada em uma área próxima a pomar agroflorestal com cítricos. O módulo está pronto para plantio. Estamos aguardando uma pequena estiagem para plantar as hortaliças. Linha de árvore A linha de árvore do módulo 25 ficou com as seguintes plantas: Banana prata com 3,5m de espaçamento; Eucalyptus globulus com 1,75m de espaçamento, entre as bananeiras; Frutíferas na posição central entre os eucaliptos: 1 Figueira – a primeira árvore frutífera deste canteiro, além das bananas é claro, é esta figueira acima; 5 Tangerinas – nos outros 5 espaços do canteiro planejados para receber frutíferas. Observação O plantio das árvores afetou a cobertura do solo. Será necessário adicionar mais capim triturado neste e em todos...

Continue reading
Agrofloresta Plantio Módulo 47 Florestinha do Vale Verde

Módulo 03 preparado para plantio inicial

Hoje não pudemos plantar devido à chuva constante então aproveito para compartilhar um pouco mais da jornada. Preparo do solo Iniciamos a implantação no dia 21 de novembro de 2018, quando rocei a área para eliminar o excesso de vegetação expontânea que rebrotou após a roçagem e aragem do espaço e orientei o senhor Nildo para realizar os procedimentos de preparação das linhas para o plantio conforme fizemos juntos anteriormente na preparação do módulo 25: afofar a terra, integrar adubação e cobrir o solo. O senhor Nildo concluiu a preparação dos 4 canteiros no dia 23. Clique na imagem a seguir para verificar os procedimentos realizados. Plantio Estamos no momento planejando o plantio das seguintes espécies. Linha de árvore Na linha de árvore realizaremos o plantio das seguintes espécies: Banana Prata Anã com 3,5 metros de espaçamento; Eucalyptus grandis com 1,75 metros de espaçamento, entre as bananeiras; Lichia com...

Continue reading
Agrofloresta SAF Preparo de Solo Manejo Hortaliças Nildo 2

Mapeando o processo de preparo do solo

Uma pessoa preparou um módulo em 3 dias É isso! Nosso amigo Nildo conseguiu realizar o processo todo em 3 dias incluindo o recolhimento, transporte e trituração de capim para a cobertura do solo. Nosso módulo tem área de 120 metros quadrados: 25 metros de comprimento por 4,8 metros de largura. O processo de preparo do solo para o manejo intensivo de hortaliças que aplicamos no módulo 47 do nosso sistema agroflorestal (SAF) ficou assim: Delimitar visualmente, com um barbante e estacas, a primeira lateral de canteiro; Realizar um primeiro afofamento do canteiro com o motocultivador; Aplicar, em cada linha de 25 metros por oitenta centímetros: 1 carrinho de mão de calcário dolomítico; 1 carrinho de mão de pó de rocha; 3 carrinhos de mão de esterco de frango. Integrar adubação ao canteiro com o motocultivador; Com auxílio de um rastel misturar a camada superior do canteiro recém adubada...

Continue reading
Florestinha do Vale Verde Agrofloresta SAF Módulo 48 vista sul-norte final implantação realizada

Módulo 48 implantado

Implantação realizada entre os dias 12 e 14 de novembro de 2018. Esta é uma área com características especiais, pois há canos de distribuição de água e energia elétrica, água próximo de onde estou pisando ao fazer a foto, e energia elétrica nesta diagonal com capim não roçado. Diferentemente do planejamento original este módulo tem duas linhas de árvore, somando cinco linhas no total ao invés de quatro. Esta linha exerce papel de barra-vento para o nosso campo. Preparo do solo Neste módulo praticamos pela primeira vez neste sistema o manejo com menos insumos, mais voltado para a regeneração do solo. Para as nossas bananeiras em tubetes cavamos um buraco de 40cm de largura por 40cm de profundidade e adicionamos mistura de adubação similar à que usamos no manejo intensivo para hortaliças: calcário dolomítico, pó de rocha, esterco de frango e Yoorin. Plantio Nas linhas de árvore plantamos Banana...

Continue reading
Agrofloresta Moto-cultivador Buffalo BFG 890 Tratorito Dax

Preparando canteiro para hortaliças em manejo agroflorestal

Conforme planejado em nosso projeto de manejo agroflorestal preparamos uma área de 500 metros quadrados para receber 4 novos módulos agroflorestais, correspondendo aos módulos 22, 23, 24 e 25 esquematizados no mapa do nosso SAF. Cada módulo contém 4 canteiros com 25 metros de comprimento e 80 centímetros de largura. Portanto nestes 500m2 implantaremos 16 novos canteiros. A seguir descrevo como estamos preparando nossos canteiros que receberão hortaliças. Adubação Estamos administrando os seguintes insumos para adubação: pó de rocha (250 gramas por metro quadrado g/m2), calcário (250g/m2), carvão moído (2 metros cúbicos m3) e esterco de frango (3m3), 6 sacos de 40kg de Yoorin Master. O esterco de frango é adicionado em dois momentos: 1,5m3 juntamente com os outros insumos antes de misturar com o tratorito e 1,5m3 no final, antes de cobrir o solo, para que o mesmo fique disponível para as hortaliças. Cobertura do Solo Trituramos a...

Continue reading
Manejo Agroflorestal Cobertura do Solo Capim Triturado

Como ficou a cobertura do solo

Cobrimos todo o solo com capim andropogon triturado. O resultado foi muito bom! Por mais Sol e calor que fizesse durante o dia dava para verificar com a mão embaixo da palha que a terra estava sempre úmida. Lições aprendidas Já nas primeiras semanas percebi que uns 30% a mais de cobertura teriam entrado bem. Poderia ter triturado mais uma vez para deixar a palha mais delicada e confortável para as pequeninas hortaliças. Os canteiros, principalmente os três primeiros, também ficaram altos. Então em alguns lugares a cobertura caiu das laterais expondo a terra ao Sol e à chuva e abrindo caminho para a vegetação expontânea. Brotou bastante capim andropogon, braquiarinha e margaridão, entre outros colegas que ainda não conhecia, em todas as falhas que surgiram na cobertura. Isto nos está demandando esforço diário de capina seletiva! Procuro conversar com eles ao arrancá-los (manejá-los). Digo mentalmente ao capim: Querido....

Continue reading
Agrofloresta Implantação Inicial SAF Florestinha do Vale Verde Outubro-2017

Iniciando Agrofloresta

Iniciando agrofloresta Continuando na experimentação de usar a mente racional primariamente para compartilhar o aprendizado desta jornada de transição de um modo de vida essencialmente urbano para experienciar a simplicidade da vida em conexão com a natureza. Cresceu aqui dentro a intenção de “recuperar” a intimidade com o organismo Terra e isto me remeteu à agricultura sintrópica. Este conjunto de práticas de manejo se fundamenta na dinâmica da vida na floresta. Seu uso proporciona melhoria na estruturação do solo ano após ano, tornando desnecessária a adubação com material externo no longo prazo. O sistema de manejo agroflorestal já é apontado como a solução de longo prazo para alimentar os bilhões de pessoas. A energia nós recebemos do Sol. Ela junto com a água nos permite “gerar solo” para alimentar árvores que vão, em última instância, mudar o clima local, alimentar os animais e reforçar o fluxo de água para nossos lençóis...

Continue reading
Scroll to top